Museu do MAR: (MAR)avilhoso

05/06/2017 0 Por Natália Alves

Como já dizia a canção “minha alma canta quando vejo o Rio de Janeiro”, em qual lugar do mundo você tem um museu com uma vista dessas? Para além da vista, o MAR não poderia ter outro nome, o Museu de Arte do Rio nos brinda com toda a carioquice digna da nossa cidade, vide seu teto em formato de onda no topo do edifício. Para subir na cobertura desse museu não é necessário bilhete, basta subir pelo elavador no térreo. Alí também funciona um restaurante de comida brasileira contemporânea, o Mauá.

 

Vista da cobertura do MAR

 

 

Quando inaugurou, em março de 2013, pairava sozinho na imensidão de obras em que se encontrava a Praça Mauá, na época ainda em construção. Hoje, com o local revitalizado, o MAR ocupa uma posição de destaque na nova paisagem carioca e já se consagrou no meu coração, e no de muitos cariocas, como um dos lugares preferidos no Rio, pois é aquele típico museu que você vai pra sentir aquele cheirinho de arte e relaxar. Ele foi muito bem projetado e tem tido exposições superinteressantes.

 

 

Vista do MAR da Praça Mauá

Quem já foi ao museu, teve a oportunidade de ver exposto, no térreo do prédio, a maquete muito bem elaborada da Favela Pereirão, que fica localizada no bairro de Laranjeiras, zona sul do Rio. Inicialmente, eu achei que se tratava de uma réplica do Complexo do alemão, mas, ao procurar saber mais, descobri que essa obra de arte faz parte do Projeto Morrinho, e foi elaborada por 16 garotos da comunidade há muitos anos. O tamanho da maquete era maior, mas algumas partes foram destruídas pela chuva e a parte que permaneceu intacta é a que está exposta no Museu. Se você olhar de perto verá detalhes incríveis e frases como “Vocês tem um sonho? Eu também”.

 

 

Nem mesmo com as notícias nos jornais sobre a realidade dos moradores das comunidades, conseguimos entender (minimamente) o cotidiano das favelas. Dá um aperto no peito pensar que centenas de crianças nascem e crescem no meio de tanta violência – praticamente num cenário de guerra.

Não basta só chegar em um museu, achar bonito, tirar foto e achar que essa realidade está muito distante de nós. Por um Rio com mais paz e humanidade!

Endereço: Praça Mauá, 5, Centro

Como chegar: melhor jeito de chegar até lá é de metrô. Desce na estação  Uruguaiana, corta caminho pela rua Acre, e em cinco minutos você chega no local.

Estacionamento pelas redondezas é um absurdo de caro.

Às terças-feiras a entrada é gratuita, das 10h às 18h.

Um brinde ao MAR e outro brinde ao Rio.

Compartilhe esse post: