CACHORRO NA PRAIA, PODE?

11/05/2018 0 Por Natália Alves
Na verdade, poder não pode. Aqui no Rio de Janeiro há uma lei municipal que não permite os doguinhos na areia e na água, porém, como não há uma multa, apenas advertência, muitas pessoas descumprem essa norma e levam os cãezinhos para dar um mergulho.

Apesar de a legislação ter sido criada por questões de saúde pública pensada para os banhistas, é bom ressaltar que a praia pode esconder grandes riscos para a saúde de nossos amigos. Muita areia, água, sol e calor são um prato cheio para aparecimento de lesões de pele que no sol fica avermelhada e junto, aquela coceira. E se o cachorro der entrar no mar estarão sujeitos a outros riscos. A água do mar dentro do conduto auditivo, com areia e calor será o ambiente ideal para o crescimento de microrganismos como bactérias e fungos que provocam a otite. O animal estará exposto ainda a diferentes verminoses em função de outros animais não vermifugados que possam ter passado pela areia e sem contar que se não estiver corretamente medicado poderá retransmitir doenças ás pessoas que ali transitam. A mais frequente trata-se do bicho geográfico, tão comum no litoral e que é transmitida devido ao contato na areia com fezes de cães contaminados pelo ancylostoma (um verme canino). Em contato com a pele do homem as suas larvas acabam migrando e formando verdadeiros caminhos, por isto o nome popular de bicho geográfico.

Isso significa deixar nossos doguinhos em casa sem curtir o dia de sol? Com certeza não. A orla da praia é totalmente liberada para eles e deve ser usada por eles para correrem e brincarem a vontade. Não exponha seu bichinho a doenças, além de pensar no espaço do próximo, vale a pena pensar na saúde do seu animal também.
Compartilhe esse post: